sexta-feira, 21 de agosto de 2009

TESTEMUNHO PRA EDIFICAR SUA VIDA!!!


Olá meus amados irmãos, meu nome é Júlio César, sou da MEPB de São Paulo, Pq. Sto. Antonio. Quero que vocês saibam, através do meu testemunho, o quanto Jesus mudou a minha vida.
Sou um rapaz da zona Sul de São Paulo, do Jd. Capela, próximo ao Jd. Ângela. Morei neste bairro, de classe baixa, por 30 anos. Amados, na escola sempre fui bom aluno, jamais havia repetido de série, até a 8ª. Aos 14 anos de idade, comecei trabalhar e ganhar meu próprio dinheiro. Com isso vieram vaidade, roupas de marca, tênis caros. Comecei ficar com as meninas da escola, cabular aulas, frequentar algumas festas, daí então vieram outros "amigos" fora da escola e foi quando o inimigo começou a agir na minha vida.
Nesta época fui a um pagode com alguns caras lá do bairro, e alguns já eram bandidos - andar com eles, pra mim, era da hora! Era um modo de pegar fama na quebrada. Nesses pagodes rolavam de tudo. Um certo dia fui ao banheiro e um deles me ofereceu cocaína, eu já tinha visto eles usarem, e nunca tinha pedido, mas dessa vez, eu nem pensei duas vezes: Fui enfiando o nariz!
A partir daí minha vida foi sempre afundando, afundando, comecei gastar muito dinheiro só com drogas. Sempre tive bons empregos, mas nunca pensava no dia de amanhã. O negócio era andar com os caras, usar droga, catar umas minas e já era! Eu achava aquilo muito da hora! Mas sempre que chegava o outro dia vinha o arrependimento, uma tristeza muito grande, e eu sempre falava: Parei! Não uso mais! Vou dar um tempo! Conversa fiada minha. Era só chegar sexta-feira, eu colava com os caras e pronto... virava sexta-cheira!
E foi assim por muito tempo da minha vida. Mais ou menos aos 18 anos, eu jogava futebol em um time do bairro e conheci um tal de Neguinho. Não sabia nada da vida dele e num certo dia estávamos conversando em um ponto de ônibus e chegaram dois homens armados, com colete de polícia e nos enquadraram. Ficamos lado a lado com as mãos na parede, um colocou a arma nas minhas costas e o outro na cabeça do Neguinho. Nos fizeram algumas perguntas e um deles me deu um tapa no rosto, com o Neguinho perguntaram se ele sabia onde era o ponto de drogas, senão iriam matá-lo, daí ele respondeu: Então podem matar porque eu não sei de nada! Foi quando o cara começou a atirar na cabeça dele.
O que estava com a arma nas minhas costas virou para atirar também, mas nesta hora eu comecei correr e atiraram pra cima de mim... mas amados, quando Jesus tem um propósito na sua vida, ele envia seus anjos para te guardar! Eu fui coberto com os anjos do Senhor, nada me aconteceu e eu louvo a Deus pela minha vida.
A partir daí, até dei um breque, mas sentia falta. Fiquei, mais ou menos, dois meses tranquilo, de boa, mas com o passar do tempo as coisas foram se normalizando e os caras me chamando em casa. Pronto, voltei à ativa de novo, e sempre com os malas da quebrada. Teve uma vez que estávamos em um bar na rua da minha casa e passou um Monza preto, sem placa, na porta do bar. O dono do bar ficou com medo e pediu para nós irmos embora porque ele ia fechar. Acabei ficando na frente da casa de um menino, trocando idéia, de repente vinha descendo a rua quatro homens e deram um tiro, eu imaginei que fossem os mesmo que estavam no bar e falei: Se liga mano! É o Julinho!
Amados, os quatro sacaram as armas e começaram a atirar pra cima de mim, foram mais de 70 tiros na minha direção. As balas passavam do meu lado, faziam um zunido... quando batiam no chão, saiam aquelas faíscas. Teve um tiro que acertou a manga do meu casaco, mas eu corri tanto... pulei alguns muros de algumas casas até consegui sair fora. Ali estava mais uma prova do que o meu Deus é capaz! Mais um vez o Senhor enviou seus anjos para me proteger como se fossem um escudo, não deixaram que as balas me tocassem. Já era a segunda vez que o inimigo tentava me matar, mas o propósito do Senhor na minha vida era tão grande, que mais uma vez ele me guardou.
Bem, nesta época eu não conhecia a palavra, achava que era sorte, do tipo: Eu consegui! Eu sou o bom! Até mesmo os caras falavam: Caramba, Julinho! Você é fogo, hein! E eu como uma pessoa cega, não enxergava o quanto o inimigo queria me destruir e muito menos o que poderia acontecer comigo. É amados, o inimigo deixa qualquer um cego para poder entrar em sua vida.
Mas com pura ingenuidade, continuava na mesma vida: Usando drogas, não comprava mais tantas roupas e tênis, pois meu dinheiro já era mais para as drogas. Olha, não pensem que tudo isso aconteceu por eu não ter tido uma boa educação ou por ter passado por dificuldades, muito pelo contrário. Na minha vida nunca me faltou nada, minha família sempre foi muito unida.
Éramos em cinco: Eu, minha Mãe, meu Pai, minha Irmã mais velha e meu Irmão mais novo. Não me recordo quando meus pais se separaram, mas tenho certeza que tiveram os seus motivos e fizeram o que foi melhor para eles. Minha Irmã se casou e foi levar a vida dela, ficamos apenas os três em casa: Eu, minha Mãe (uma mulher vencedora - amo minha Mãe!) e meu Irmão.
Em 19 de dezembro de 2001, aconteceu a pior coisa para todos nós, os policias mataram meu Irmão (Olhem amados, prefiro não entrar em detalhes sobre essa perda. Espero que entendam, mas para resumir um pouco, ele realmente estava na hora errada, no lugar errado e infelizmente tomou uma atitude errada. E saibam que meu Irmão era um ótimo garoto). Quando isso aconteceu, ele tinha apenas 17 anos e eu estava com 23.
Sofremos muito com isso, mas creio que Deus sabe de todas as coisas. Minha mãe viajou para o Piauí no dia 6 de janeiro de 2002, menos de um mês após a morte do meu Irmão. Naquele momento teve início uma das piores fases de minha vida. Sozinho em casa, sem ninguém. Não pensava em mais nada, só queria saber de drogas: Me entreguei mesmo.
Quando minha mãe voltou do Piauí, eu estava acabado. Eu não tinha com o que me preocupar, só trabalhava pra ganhar um dinheiro pra manter o vício. Minha mãe trouxe com ela, para morar conosco, uma garota que se chama Rosimeire de Souza Oliveira (Meire), gravem bem esse nome, mais pra frente vocês vão entender o porquê.
O inimigo foi acabando comigo aos poucos. Teve uma vez que fui convidado para ir em uma festa na sexta-feira e virei a noite usando drogas. Ao amanhecer, fomos para um sítio e continuei me drogando. Passei, também, esse dia inteiro louco. No sábado à noite não fui pra casa, quanto mais eu usava, mais eu queria. Dessa vez o inimigo estava usando a droga para me matar, e ele quase conseguiu.
Amados, ao amanhecer o domingo, eu estava descendo a rua da minha casa muito louco, totalmente drogado, mal conseguia andar, acredito que deve haver vários tipos de overdose, e o que aconteceu comigo, naquele domingo, deve ter sido um desses tipos.
Foi muito horrível! Antes de chegar na minha casa eu comecei me jogar no chão, chamar pelo meu irmão, me machuquei inteiro. Algumas pessoas viram aquilo e foram chamar minha Mãe e a Meire. Elas contam que eu, totalmente louco, só pensava que iria morrer, daí me levaram pra casa e cuidaram de mim.
Foi por pouco! Mas quando Jesus guarda, ele é fiel! Lá estava eu, mais uma vez, salvo pela misericórdia do Senhor. Foi a partir desse dia que comecei a dar mais valor as pessoas que realmente gostavam de mim. Eu até tentei parar, mas era mais forte que eu. Ficava um tempinho sem me drogar, mas logo estava usando de novo, mas pelo menos eu ficava mais em casa.
Com isso, eu e a Meire começamos a ter um relacionamento. Comecei gostar de verdade dela e ver o valor que ela dava para nossa relação. Ela foi buscar o filhinho dela no Piauí, e quando voltaram, me apaixonei pelo menino - o Guilherme, ele me chamava de Ju, nos brincávamos muito, até que resolvi assumir a paternidade dele, com todo meu amor. Acredito que ele só veio para completar a nossa união.
Perdi vários empregos bons por causa deste vício. Consegui um emprego em Pinheiros, e uma vez no ônibus encontrei o Ismar Junior, um amigo do tempo de escola. Daí começamos conversar e ele me falou de Jesus, fui até trabalhar com ele. Começamos frequentar a igreja dele, fiquei, mais ou menos, uns três meses bem lá na igreja.
Amados, vou falar pra vocês, passei por momentos maravilhosos naquela igreja, conheci pessoas incríveis, que me acolheram como um verdadeiro irmão, mas o inimigo é tão astuto que começou trabalhar, e colocar obstáculos para não irmos à igreja. Era dor de cabeça, dor na perna por pancada do futebol no domingo, às vezes não era nada, simplesmente não queria sair de casa.
O Junior sempre estava disposto a me ajudar, a verdadeiramente me salvar. Ele ia me buscar em casa, ligava e eu sempre inventava mentiras pra não ir à igreja, enfim, me distanciei de Jesus. Passei uns quatro anos sem acrescentar nada na minha vida e na da minha Esposa. Eu e ela sempre trabalhamos, sempre pagávamos nossas contas em dia, e eu continuava na mesma, no maldito vício. Com isso, eu sempre dava motivos para brigarmos, não dava atenção a minha família, ao meu filho... perdi muito tempo da infância dele, pois ficava muito ausente. Levávamos uma vida cheia de turbulências, brigas, dificuldades pra pagarmos as contas, não crescemos em nada.
Em 2007, consegui um emprego na melhor agência de viagens do Brasil. Trabalhava no período noturno. Deus colocou, nessa fase da minha vida, uma pessoa muito importante pra mim: Loriete Barreto - ela me ajudou muito. Falei com ela que queria muito comprar um apartamento, e pra me ajudar, ela me colocou pra fazer várias horas extras. Ganhei muito dinheiro, mas, infelizmente, também comecei usar muita droga - praticamente todos os dias.
Mas com a ajuda do Senhor Jesus e o esforço da minha Esposa, conseguimos comprar o apartamento (DEUS SEJA LOUVADO), mas minha vida estava se afundando nas drogas. Antes de mudarmos eu usava muita droga e comecei chegar atrasado, faltar no serviço, minha Esposa não aguentava mais. A Loriete ainda me deu várias chances. Comentei com ela que meu problema era a droga, e mesmo assim ela me segurou. Mas devido as minhas mancadas, não restou outra opção e ela teve que me demitir. Quando falei pra minha Esposa que tinha sido mandado embora, foi o que faltava para ela estourar, íamos nos separar. Minha mãe quando ficou sabendo, falou que me entregava nas mãos de Deus. Mas nem eu, e nem ela sabíamos que eu já estava nas mãos dele.
Amados, pra mim a vitória do inimigo estava próxima, pois eu já não tinha mais o amor de ninguém, e sem emprego, eu me destruiria muito rápido. Pedi para minha Esposa mais uma chance, e que quando mudássemos para o apartamento tudo mudaria. Mas na verdade eu falava isso da boca pra fora, só não queria perdê-la.
Quando mudamos, pedi para o meu amigo Ismar Junior ir até a minha casa pra fazer uma oração, amados, olhem como o inimigo é: No dia marcado para o meu amigo ir ao apartamento, eu e minha Esposa saímos de manhã, deixamos a janela da sala aberta, e quando voltamos para esperá-lo chegar, a casa estava alagada, pois caiu uma chuva muito forte e íamos até cancelar.
Mas Jesus já estava trabalhando, não conseguimos cancelar, quando ele chegou, fiquei muito surpreso, pois foram, mais ou menos, umas 12 pessoas da Igreja que já nos conheciam e nos amavam em Cristo Jesus. Ficamos muito felizes. Amados, naquele dia eu pude ver o quanto eu precisava de Deus. Ali conversamos, oramos, cantamos louvores ao Senhor - foi maravilhoso! Mas eu ainda não tinha entregado minha vida ao senhor.
Eu moro num condomínio que tem um playground, eu nunca tinha ido lá, mas nesse dia minha sobrinha foi em casa e fui levá-los para brincar, chegou uma menina que eu não conhecia e escreveu a seguinte frase no chão de areia: "JESUS TAKES IT’S NAME THE HEIGHTS",e me perguntou: Sabe o que significa? Eu falei: Não. E ela me respondeu: "JESUS LEVA SEU NOME ÀS ALTURAS". Glória a Deus, Aleluia! Amados, Jesus estava falando comigo! Eu fiquei meio que em estado de choque, como uma pessoa que eu nunca vi, poderia me dizer uma coisa dessas? Jesus, através dessa menina, falou comigo! No domingo seguinte, dia 21 de dezembro de 2009, fui à Igreja e entreguei minha vida a Jesus, para honra e glória do Senhor.
Hoje estou bem com a minha família, estamos vivendo um momento maravilhoso. Olha, sabem aquela Rosimeire de Souza Oliveira que mencionei anteriormente? Ela é a mulher mais maravilhosa que já vi, e eu a amo eternamente. Pois, com a ajuda do Senhor, que a colocou na minha vida, e a deu forças para nunca desistir do nosso amor, consegui vencer!
Ela me tirou das drogas e me deu outro sentido na vida, hoje sim tenho uma família feliz, e luto a cada dia para retribuir o amor deles. Antes de conhecer a palavra eu me arrependia de não ter aceitado Jesus antes, mas como diz a palavra do Senhor, em Eclesiastes 3, "Tudo tem seu tempo". Tem uma outra passagem que, toda vez que leio, tenho certeza de que tudo que aconteceu na minha vida, em todos os momentos - bons ou ruins - Jesus estava comigo, leiam Isaias: 49.1, "Ouve-me Ilhas e escutai vos, povos de longe. O Senhor me chamou desde o ventre, desde as entranhas de minha mãe e fez menção do meu nome". E hoje, sei que o Senhor tem um grande propósito em minha vida, e quem sabe não é este: Dar o meu testemunho e dizer que JESUS É O GRANDE SALVADOR DE NOSSAS VIDAS.

Um comentário:

Marcelo disse...

Julinho... Fiquei sem palavras. Seu testemunho é lindo, maravilhoso, glorioso. Não pude conter a lágrimas. O Senhor com certeza já é muito exaltado pelo que fez em sua vida, e ainda será para alcançar milhares de vidas. Julinho o caminho ao qual você encontrou pela infinita misericórdia de DEUS, é um caminho apertado estreito em que nós também encontramos tribulações e dificuldades, mas nós já temos a certeza que esse é o caminho da VITÓRIA!!!! Vou citar um texto que explica bem isso. Mateus 7:13-14 “Entrai pela porta estreita, porque larga {é} a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita {é} a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.”

LOUVADO SEJA DEUS Julinho.... Nós encontramos!!!

Marcelo
Pq. Sto. Antônio